14.09.2020
* PJ Leu: Conto – Cale-se para sempre! ♥

Ei, Gente! :) A minha concentração literária está voltando aos poucos e no finde consegui até ler um conto novo: Cale-se para sempre, da Renata Lustosa (autora nacional), uma parceira querida do PJ. Então, trouxe a resenha para vocês. Vamos lá? Boa leitura!

Conto: Cale-se para sempre | Autora: Renata Lustosa
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Olívia Florence é dona de uma pequena empresa de organização de eventos chamada “Dois pombinhos”. Parece que as coisas vão melhorar com o novo casal cliente, porém, tudo muda quando o noivo dá em cima dela na maior.

Agora o que fazer? Contar para a Bianca, a noiva, e perder seus potenciais clientes ou deixar isso para lá e não falar nadinha? Sua honestidade pode prejudicar a sua empresa, que já está meio mal das pernas ou pelo contrário?

Entre essas questões, Olivia aprende boas lições. Inclusive, faz as pazes com o senhor cupido!

Opinião da Pequena: Sempre quando eu leio algo da Rê, eu lembro o motivo de eu amar tanto chick-lit. Esse conto é mais uma prova de que esse gênero traz valores que inspiram a gente no nosso dia a dia e não tem nada de “raso”.

A premissa chama a atenção. Imagina: o único cliente, que pode manter a sua empresa, dá em cima de você na maior cara de pau? É impossível não se colocar no lugar da Olívia e ter vontade de dar um murro nele (sou contra violência, mas esse vilão merece hahaha).

Adorei como a história foi conduzida e o único defeito é que acaba muito rápido! Quando a gente se toca, chega o epílogo, mas fica feliz que tudo se encaixa direitinho.

De quebra, a gente aprende lições, como a importância de ter aulas de krav magá. Que a propósito, essa parte rende boas risadas. Outra: a honestidade e a empatia valem ouro. E que o Cupido sabe das coisas e um bom partido aparece e ele tem de ter várias coisinhas, que vão além de bens materiais. Clichê, mas sempre bom lembrar.

Crédito da Imagem: Amazon / Renata Lustosa

Tomás é meu novo crush literário, mesmo com algumas ressalvas. A Olívia? Amei esse nome! Ah! E eu quero contratar a “Dois Pombinhos” quando eu me casar hahaha. ;-) Aliás, noiva Bianca, você me surpreendeu. Quer ser minha amiga? Eu,você e a Olie podemos criar um grupo no Whats hahaha.

Enfim, recomendo muito para quem anda travado nas leituras. Quer algo divertido, leve e para devorar em questões de horinhas? Cale-se para sempre é perfeito para isso.

E não sei vocês: mas contos eu acho que sempre devem virar livros, porque quero mais detalhes e tal hahaha. Tipo uma personagem, que acho que acrescentaria muito, ficou meio apagada. Mas entendo que esse tipo de leitura é desse jeito, mais direto ao ponto, digamos assim.

Quanto à capa… Tem tudo a ver com a história, inclusive, com uma cena incrível. Pelo menos, eu acho! E o título também! E adorei a diagramação e as ilustrações em algumas páginas, que fazem a diferença. ^^

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

É isso, pessoal. Quem quiser embarcar, está disponível nesse link da Amazon. No mais, podem opinar à vontade! ;-)

Beijos e boa semana,
Carol.

Post Antigo: Conto – Maldito Beijo!
Fan Page ♥  Instagram


5
12.06.2020
* PJ Leu: Conto – Um filme de nós dois! ♥

Ei, Gente! :) Para o dia de hoje, separei uma resenha para lá de romântica e bem a cara da quarentena. O conto da vez é “Um filme de nós dois“, das autoras brasileiras Fernanda França e Leila Rego. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Conto: Um filme de nós dois | Disponível na Amazon | Autoras: Fernanda França e Leila Rego
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Sozinhos e em plena quarentena, Kátia e Jonas se conhecem no Tinder, migram para um aplicativo de xadrez e logo se conhecem pessoalmente, protegidos pelo distanciamento social e por máscaras e roupas especiais – e surpreendentes. A rotina é mudada com a inscrição em um concurso de curtas-metragens. É nesse cenário de comédia e romance que os dois amigos começam a se conhecer melhor, partilham segredos e descobrem que os sentimentos não medem distância. E quando a quarentena acabar será que haverá lugar para cada um deles na vida do outro?

Opinião da Pequena: Em primeiro lugar, gostaria de dizer que essa leitura teve um gostinho para lá de especial para a Pequena que vos bloga. Fui convidada pelas autoras para ser meio que uma leitora beta e ler algumas partes do conto! Me senti tão honrada, que nem sei. Mas juro que apesar da parceria, a minha opinião é de todo o coração!

Tenho lido bastante nessa quarentena e todos os livros acrescentam de alguma forma. Em contrapartida, nenhuma traduz o que a gente está passando no momento. Daí, vem esse conto e acolhe o leitor com tanto carinho, repleto de álcool em gel, máscaras de proteção e uma história incrível de amor com muitas risadas e lições valiosas.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

A premissa prende do início ao fim e é quase impossível não se identificar em algum momento com a Kátia. Seus dilemas durante o isolamento social (depilar ou não a perna, dar adeus aos sutiãs) e as conversas inusitadas com os motoboys arrancam choros de tanto rir e trazem um humor necessário para essa pandemia. Aliás, essa palavra – humor – tem um novo significado e faz a gente olhar para ela com outros olhos.

O Jonas é muito fofo e apaixonante. Adorei a originalidade do jogo de xadrez e apesar de ter amado as roupas diferentonas em breves encontros, não sei se isso aconteceria, de fato, na vida real. Mas entrando na onda do conto… Já sei as próximas fantasias do Carnaval e decidi que quero um pijama de unicórnio. Me julguem hahaha!

Há outras partes incríveis e a gente nota que ficar em casa pode trazer tédio, mas ideias que dão certo, como o curta-metragem. Preciso destacar a Dani e a avó dela. São pessoas como elas que trazem leveza no dia a dia, principalmente, em tempos de distanciamento social. Adorei os conselhos e tirei algumas lições, como a importância de tirar as sujeiras que escondemos embaixo do tapete. Ah! Desfechos não, necessariamente, precisam ser tristes. Aliás, sinceridade com carinho é tudo!

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

No mais, as coisas acontecem aos poucos e tudo vai se encaixando no seu tempo. Nada corriqueiro, mas nada que deixe a leitura arrastada. Alguns assuntos sérios, como antirracismo, são abordados e mesmo por alto, fizeram a diferença. É um conto que traz esperanças de um futuro melhor, mostra como o presente que pode ser especial e a importância de visitar novamente algumas partes do passado.

Por fim, preciso falar que fiquei muito feliz quando um simples pitaco (meu) fez parte da rotina de ambos. Talvez tenha rolado algumas lágrimas e uma inspiração a mais para finalmente sentar o meu bumbum na cadeira e escrever livros e tal. Muito obrigada, Fer e Leila! Inclusive, pela dedicatória na parte de agradecimentos!! ^^

Se eu recomendo? Sim! Pode ler nesse Dia dos Namorados e em outras ocasiões. Falando nisso…. Aos casais apaixonados: um feliz dia! Ao meu namô: te amo! Aos que estão na fase do “só tô lendo”: esse status vale tanto a pena quanto qualquer outro! ♥

Quem quiser ler, é só clicar na imagem abaixo. Aliás, ler por aqui, ajuda muito o Pequena Jornalista, viu? ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – 9 minutos com Blanda!
Fan Page ♥ Instagram


12
29.04.2020
* PJ Leu: Conto – O outro lado da muralha! ♥

Ei, Gente! :) Li mais um conto nessa quarentena e, é claro, trouxe a resenha para vocês. Dessa vez: O outro lado da muralha, escrito pela Leila Rego. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Conto: O outro lado da muralha | Editora: Amazon | Autora: Leila Rego
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4,5 livros

Sinopse: Kryptós é a cidade dos inventores e afins. Muitas lendas circulam por lá e aqueles que tentam desvendá-las são repreendidos pelos soldados de Mombi. Bob Cabeça Pensante é um cientista e seu trabalho é criar tudo o que Mombi pede. Ele vive com a família e é cercado de privilégios, até que uma saída com o seu cachorro muda tudo. Finalmente, descobre que uma das lendas de Kryptós é verdadeira.

Opinião da Pequena: O conto foi o meu primeiro contato com a autora. Acho que vou gostar mais dos livros dela de romance, mas mesmo sendo mais fantasia essa história, me fez ler do início ao fim. :)

Confesso que fiquei meio perdida em algumas partes. Eu não sou uma leitora que sempre consegue captar o que está acontecendo de primeira, ainda mais quando é um gênero que não estou acostumada a embarcar. Talvez por isso eu tenha demorado mais para finalizar.

Adorei o Bob e Mombi é uma personagem que põe medo. Sua mulher e seu filho são incríveis e o Mozart também. Aliás, não acho que tenha sido por acaso ele ter levado o nosso protagonista a um local totalmente proibido em Kryptós. Falando nisso, nunca um passeio foi tão divisor de águas. Ainda bem!

E por mais imaginária que seja, essa história me fez pensar muito no momento atual que estamos passando. Aí bateu uma tristeza! Em contrapartida, me ensinou muito a acreditar nos nossos ideais. ♥

Ah! Não sei se o conto vai virar livro, mas quem sabe. Não teve o meu desfecho ideal (na minha cabecinha de literata hahaha), mas se entrelaçou com um dos meus personagens favoritos do Mágico de Oz: o espantalho.

No mais, amei a capa do conto e diz muito sobre ele. E como já contei algumas vezes, isso ganha pontos extras. Enfim, recomendo se você quer ler algo que não seja clichê e que saia da sua zona de conforto. Faz bem derrubar algumas muralhas. ;-)

É isso, pessoal. Podem opinar à vontade! E quem quiser embarcar nesse conto, é só clicar aqui.

Beijos, Carol.

P.S: esse post é uma parceria, mas a opinião é sincera e de coração! ^^

Post Antigo: PJ Entrevista – Leila Rego
Fan Page ♥  Instagram


7
24.04.2020
* PJ Leu: Conto – Segredos do meu coração! ♥

Ei, Gente! :) Nunca fui muito de ler conto, mas só essa semana já li dois. Acho que está fluindo melhor nessa quarentena, vai saber hahaha. Então, para o post do dia trouxe uma nova resenha literária: Segredos do meu coração, da autora Fernanda França! Vamos lá? Boa leitura. ♥

Conto: Segredos do meu coração | Editora: Amazon | Autora: Fernanda França
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Oz é tudo o que Hermes Timoteo conhece do mundo. Ele trabalha como lenhador, embora sua paixão seja realizar esculturas em madeira. Allegra nasceu e mora em Saul, um pequeno lugar escondido por magia onde se encontram os curandeiros que atendem todos os habitantes de Oz. Em uma de suas viagens, os dois se conhecem e o improvável acontece.

Opinião da Pequena: A Fernanda França é a minha escritora brasileira favorita. Amo a escrita dela e como as suas histórias são conduzidas. Sempre me ensinam e marcam a minha vida de leitora! E eu estava com uma saudade de ler algo escrito por ela.

Então, quando soube desse conto, coloquei na minha listinha de próximas leituras. Porém, confesso que fiquei com um pouco de receio, afinal, dessa vez, ela saiu da sua zona de conforto e se instalou em outro tipo de gênero. Mas logo na primeira página, vi que a sua essência permanecia intacta. :)

É um conto bem curtinho, porém, intenso. Não devorei em um dia, como o último que postei aqui. Mas absorvi cada batida do coração do protagonista Tim (Hermes Timoteo). Aliás, para quem ama O Mágico de Oz, vai adorar essa versão do Universo antes de Oz, que conta com um dos personagens mais icônicos: o Homem de Lata. Também tem bruxa e tal! ;-)

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

No mais, é fantasia e fez total sentido para mim cada parte desse conto. Tirei lições, como: o amor incondicional realmente é um dos mais bonitos, mesmo que as algumas escolhas não favoreçam a todos, digamos assim. E amei o conceito de felicidade da Allegra e como a mesma vive seus dias. Inspira a gente, até mesmo, em tempos de isolamento social.

Destaque para a avó da Alegra e as irmãs do Tim. Aliás, a história do relógio é sensacional e rende um dos melhores trechos desse conto. Nosso protagonista também é inspirador e, a propósito, ele é a prova literária de como o amor pode mudar a gente por completo e no melhor sentido da palavra.

O final dá uma dó, mas ao mesmo tempo, traz esperanças. Enfim, o desfecho é feito com chave de ouro, ou melhor, com um sapatinho vermelho icônico! ;-) E eu vou parar por aqui, porque não quero dar spoiler.

Ah! Não sei ao certo se vai virar livro, mas queria dizer que adoraria que virasse. Aliás, contos estão tendo esse efeito em mim. Quero que tudo vire um milhão de páginas hahaha.

***

É isso, pessoal. Quem já leu, me conta. Quem ainda não, fica a dica! ♥

Ah! A Fernanda França lançou essa história no mesmo tempo que a Leila Rego lançou “O outro lado da muralha”, que também acontece antes de Oz. E acho que vou embarcar nesse conto no finde e semana que vem conto para vocês. Quem quiser ler os dois, é só clicar aqui e aqui. ;-)

Beijos, Carol.

P.S: esse post é uma parceria, mas a opinião é sincera e de coração! ^^

Post Antigo: PJ Leu – O pulo da gata
Fan Page ♥  Instagram 


15
21.04.2020
* PJ Leu: Conto – Maldito Beijo! ♥

Ei, Gente! :) Para o dia de hoje, tem mais uma resenha literária. Dessa vez, a minha opinião sobre o novo conto da autora brasileira Renata Lustosa: Maldito beijo. Ideal para quem deseja ler algo rápido, divertido e leve. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Conto: Maldito beijo | Editora: Amazon | Autora: Renata Lustosa
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Samanta Miler não sabe mais o que fazer. Todo homem que a beija acaba reatando com a ex-namorada no dia seguinte. Será que é alguma maldição ou pior: será que ela beija mal? Independente, a protagonista fará de tudo para descobrir se existe algum cara que permaneça ao seu lado após o primeiro beijo. Só não desconfia de que o universo reserva muito além.

Opinião da Pequena: Para mim, conto é uma ótima forma de você conhecer um pouco daquele autor que já escutou falar, mas não sabe ao certo se vai curtir. Ou é uma maneira de ter certeza de que, até a lista de mercado dele vale a pena embarcar.

Eu conheci a Rê por conta de “Confissões de uma terapeuta” e foi um chick-lit que entrou para a minha listinha de favoritos, de coração. ♥ Daí, quando ela me convidou para ler esse conto, fiquei mega feliz. Primeiro, que é uma honra e segundo: porque eu sabia que vinha boa história por aí!

É um conto que vai direto ao ponto e a amiga da Sam, a Laura, logo mata a charada e faz a gente querer matar a nossa protagonista também hahaha. Aliás, essa cena é o que me levou a tirar uma das lições: às vezes, o “erro” está bem na nossa cara (ou fala) e não tem nada a ver com o signo, maldição e tudo mais.

E como não se identificar com a Sam? Me lembrou uma fase de quando eu era mais novinha e cometia alguns deslizes parecidos. Daí, me fez olhar para trás com um quentinho no coração e rir de uma forma boa! Obrigada, Rê! ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Quanto ao final, juro que não esperava por ele e confesso que estava torcendo para outro. Mas não deixou nadinha a desejar e arrancou suspiros! Cafeterias sempre rendem um bom chick-lit. E acredito que esse conto possa virar um livro. Tem muito pano pra manga, inclusive um personagem aí, que me conquistou na primeira mensagem, mas vou parar por aqui para não dar spoiler! =D

No mais, é uma história leve, fofa, para lá de divertida e rica em detalhes (na medida certa). Perfeito para quem quer ler uma comédia romântica rápida durante essa quarentena, por exemplo. É uma distração literária que vai deixar o seu dia bem mais de boa na lagoa e “sussa” na montanha-russa. E o único porém é que quando a gente se toca já chegou ao fim e a gente fica querendo mais… Então, Rê, fica a dica!

Ah! Destaque também para a capa. Tem tudo a ver com o título e a premissa. Quando chegamos ao fim, dá para entender direitinho o motivo do guarda-chuva, o figurino e tal. E como vocês sabem: esses detalhes sempre ganham pontinho extra para mim.

***

É isso, pessoal. Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! A propósito, é clicar aqui para comprar.

Beijos, Carol.

*P.S: esse post é uma parceria, mas a opinião é sincera e de coração! ^^

Post Antigo: PJ Entrevista – Rê Lustosa
Fan Page ♥  Instagram


8
12

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020