29.06.2020
* PJ Leu: O que acontece em Londres! ♥

Ei, Gente! :) E a última dica literária do mês é: O que acontece em Londres, da Julia Quinn. O livro, publicado pela Arqueiro (parceira do blog), é o segundo da trilogia “Bevelstoke“. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: O que acontece em Londres | Editora: Arqueiro | Autora: Julia Quinn
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Há um boato de que Harry Valentine matou a própria noiva. Olivia Bevelstoke não acredita nisso, porém, por via das dúvidas, acha melhor espioná-lo, já que o rapaz é o seu mais novo vizinho! Tudo a postos: encontra um lugar perto da janela do quarto e se esconde atrás da cortina. Logo descobre um homem intrigante e que, sem sobra de dúvida, está tramando algo com o seu chapéu e inúmeros papeis.

Mas nem tudo é o que parece: Sir Harry, na verdade, trabalha para o Departamento de Guerra inglês, traduzindo documentos vitais para a segurança nacional. Não é um espião, mas já passou por treinamentos para ser um e logo de cara percebe que a sua vizinha está o observando!

Mas chega à conclusão de que ela é só uma bisbilhoteira e descobre também que a jovem está sendo cortejada por um príncipe russo suspeito de conspirar contra a Inglaterra. Ou seja? Querendo ou não, agora ele vai ter de espioná-la e talvez essa missão represente uma paixão, que nenhum dos dois imagina. ;-)

Opinião da Pequena: A Olivia é uma das minhas personagens favoritas do primeiro livro da trilogia. Então quando li que a história seria dela, tive de embarcar, né?

Para começar: a premissa! Achei bem divertida. É clichê, mas ao mesmo tempo não é, sabem? Claro que a gente imagina, de cara, o que vai acontecer. Mas a forma como tudo é contado que faz a diferença, mesmo com algumas ressalvas. A escrita da Julia Quinn tá bem intacta e faz a gente suspirar por mais um romance de época.

Harry e Olivia são protagonistas dos melhores diálogos. Desde o comecinho do relacionamento até o clímax, mas não vou dar spoiler! Amei ele por conta do nome (sou dessas hahaha) e o jeito meio intrigante conquista de cara. Olivia não é a personagem que mais me identifiquei, porém, é aquela amiga que eu queria ter na vida. Aliás, ela não é leitora voraz de livro, mas ama um jornal e acho que tem futuro para entrar no mundo dos leitores hahaha.

Achei o Sebastian bem maluquinho e o príncipe russo me lembrou um pouco o Gaston. Por falar nele, seu guarda-costas me surpreendeu! As cenas de um tal livro (que amei a criatividade do nome) são hilárias e eu soltei a minha imaginação. A rixa entre o Harry e o vulgo Gaston rende boas risadas e alguns trechos dão raiva. Queria que alguns personagens aparecessem mais, tipo a Mary, os irmãos e tal… Porém, fiquei feliz que a gente teve atualizações do livro 1.

Enfim, eu adorei a história e suspirei muito! Algumas partes esperava mais e achei alguns capítulos do meio para o final meio confusos e resolvidos de uma forma muito rápida. Minha cabeça fez um bolôlô, sabem? Mas aí vieram as últimas páginas e achei tão incrível, que quase tudo fez sentido! Enquanto o primeiro teve um dos casamentos mais sem graça, esse teve um pedido maravilhoso!!

Ah! A capa é linda e é uma das minhas favoritas! Falando nisso, eu fiquei imaginando os figurinos e os penteados da Olivia. Acho que é isso! Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – História de um grande amor
Fan Page ♥ Instagram


11
14.05.2020
* PJ Leu: A gaiola de ouro! ♥

Ei, Gente! :) Eu acho que a quarentena combina muito com livros mais leves e divertidos. Porém, eu resolvi abrir o meu leque de leituras e pasmem!! O último livro que li foi um thriller psicológico: A gaiola de ouro, da Camilla Läckberg, publicado pela Editora Arqueiro. Vocês estão em choque? Eu também hahaha! Mas vão ficar ainda mais com essa resenha. Vamos lá? ♥

Livro: A gaiola de ouro | Editora: Arqueiro| Autor: Camilla Läckberg
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 3,5 livros

Sinopse: Jack e Faye começaram a namorar na faculdade. Ele é um garoto criado em berço de ouro. Ela é uma jovem que se esforçou para enterrar um passado sombrio.

Quando ele decide criar uma empresa, ela deixa os estudos e passa a trabalhar de dia, dedicando as noites a traçar a estratégia do novo negócio. A companhia se torna um sucesso bilionário, mas Faye fica apenas cuidando da filha em casa e sendo exibida pelo marido, que toma todas as decisões da empresa.

Um dia, Faye descobre que ele tem um caso e a bela fachada de sua vida desmorona. De uma hora para outra, ela está sozinha, emocionalmente abalada e sem nenhum centavo. Mas Jack está prestes a receber o que merece, e muito mais.

Opinião da Pequena: Quando a Editora falou do livro, fiquei com muito receio. Já que eu fico bastante impressionada com essas histórias. Mas coloquei esse desafio e depois da entrevista que rolou no Instagram com a autora, fui com tudo!

É um livro bem pesado e muito bem escrito! Por mais que as coisas me impressionassem, eu não queria parar de ler um minuto sequer. Porque bate muita curiosidade. Aos poucos entramos no universo da protagonista e conhecemos seu passado e presente e nem sonhamos com o que está prestes a acontecer. Tem muita reviravolta!

Jack é um cara nojento. Por tudo! Acho que é um dos personagens que mais me assustou, principalmente, pelo que a gente descobre no final. A Faye, por mais que dê para entender algumas atitudes, também não é a melhor pessoa da vida. Mas para dar um toque bem sutil de leveza, a gente se depara com a Chris, que é simplesmente incrível. Aliás, esse livro me deixou tensa, mas em um capítulo específico, me emocionou bastante. Quem diria, né?

É uma história que desperta todas as emoções possíveis no leitor. Uma hora a gente tem vontade de tirar a Faye da gaiola de ouro e outras não entende a necessidade de toda vingança. Ai bate uma raiva giga! E em algumas partes acha muito bem-feito para o Jack.

No mais, têm trechos que achei meio enrolação e cenas bem desnecessárias. Sobre o final: é surpreendente e o passado sombrio dela volta e acho que no próximo livro vamos entender mais e mais coisas! Sim, vai ter uma 2ª parte e a Camilla disse que a gente não espera por esperar e o que aconteceu com o Jack foi pouco. Sinistro, né? =D

Ah! Lembrou um pouco Garota Exemplar (só vi o filme, mas acho que dá pare ter ideia o que acontece no livro), mas de uma maneira ainda mais vingativa, na minha humilde opinião. E quanto à capa, a princípio a gente acha até fofinha. Mas por trás do mundo rosa, têm coisas que até papai do céu duvida!

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Se você gosta de um thriller psicológico, mega recomendo. Se não e quer se aventurar em novos gêneros, indico. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Coragem
Fan Page ♥ Instagram  


4
12.05.2020
* Dica da Pequena: Corre que tem muito e-book até amanhã (13.05.2020)! ♥

Ei, Gente! :) Quarentena com livros fica bem melhor, né? O mais legal é que várias editoras estão disponibilizando e-books com desconto. Inclusive, a Arqueiro e Sextante, que são parceiras do PJ. Pensando nisso, separei alguns dos meus gêneros favoritos que entraram nessa listinha. Vamos lá? ♥

Para começar: romances de época. Como não se apaixonar por essas histórias? É uma forma de viajar no tempo e conhecer personagens fortes, engraçadas e que inspiram os leitores. E têm vários da Julia Quinn (que eu amo) e outras autoras (que eu preciso conhecer).

Lembrando que História de um grande amor já apareceu por aqui e em breve quero ler o segundo da trilogia Bevelstoke: O que acontece em Londres, da Julinha (a íntima hahaha). Para quem quiser ver a lista completa dos romances de época que estão com 60% de desconto até amanhã, dia 13 de maio, só clicar nesse link.

Nessa seleção de e-books também entraram romances adolescentes, que particularmente a leitora teen que habita em mim ama hahaha. E têm autores nacionais, como a Thalita Rebouças. Enfim, independente da pegada, são histórias que ajudam a todos ou, pelo menos, faz a gente relembrar de momentos antigos e olhar para eles com outros olhos. Aliás, aqui no PJ você encontra várias resenhas dessa listinha, viu? ;-)

Mas talvez essa seja uma ótima oportunidade para embarcar em livros de autoajuda. Se você tiver um pé atrás, dê uma chance! Alguns vão além da teoria e realmente dão aquela luz no fim do túnel, porém, sem prometer milagres. Ruth Manus com Mulheres não são chatas, Mulheres estão exaustas é um ótimo exemplo. Para saber mais, só clicar aqui!

Credito das Imagens: Arqueiro e Sextante

***

É isso, pessoal. :) Para conferir essas e outras promoções, só dar um pulinho nas redes sociais da Arqueiro e da Sextante. Ah! Vale lembrar que é só até amanhã, ok? E quem tiver dicas de outros e-books em promoção ou de graça, fica à vontade para compartilhar nos comentários. ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: Top 5 – Julia Quinn
Fan Page ♥ Instagram


10
01.05.2020
* PJ Leu: Notre-Dame – A história de uma catedral! ♥

Ei, Gente! :) Para começar esse mês, resolvi postar a minha última leitura de abril, que na verdade finalizei hoje mesmo hahaha. O nome é Notre-Dame, do autor Ken Follett, livro publicado pela editora Arqueiro (eterna parceira do blog). Vamos lá? Boa resenha! ♥

Conto: Notre-Dame | Editora: Arqueiro | Autor: Ken Follett
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Em abril de 2019, um incêndio quase destruiu uma das maiores catedrais do mundo. Sendo assim, Ken Follett resolveu descrever em Notre-Dame as emoções que sentiu ao saber do ocorrido. Aliás, nesse livro, o autor reflete sobre o papel que a catedral desempenhou ao longo do tempo e revela a influência que a mesma tem em outras ao redor do mundo.

Opinião da Pequena: Quando o pessoal do marketing da Arqueiro enviou o e-book para a gente ler, não sabia ao certo se a leitura me agradaria. Mas resolvi sair da minha zona de conforto e aceitei embarcar. :)

Ken Follet fala sobre um dos pontos turísticos mais incríveis de Paris e transmite uma paixão pelo assunto, que é quase impossível não se envolver. É triste saber tudo o que aconteceu. Mas em uma das matérias que vi sobre a Pandemia que estamos vivendo, eu fiquei muito feliz quando vi que um padre ou bispo (não sei ao certo), estava celebrando uma missa lá dentro (sem os fiéis, claro). Depois de tudo que a Catedral passou, ver aquela cena me deu esperança.

Enfim, gostei da escrita do autor e como o livro é rico em detalhes históricos. Por exemplo, ela levou quase 100 anos para ser construída e eu não fazia a menor ideia de que a Notre-Dame é a quinta igreja erguida naquele local. Entre outros fatos que a gente fica sabendo em cada capítulo. Ou seja, a gente enriquece bastante com a leitura.

Adorei que tem uma parte do original da história criada pelo Victor Hugo, mas que só conhecia pelos olhos da Disney: O corcunda de Notre Dame. A gente também tem a oportunidade de ler alguns trechos do livro “Os pilares da Terra” e conhecer um pouquinho do próximo do Ken (a íntima hahaha): O Crepúsculo e a Aurora.

Então, se você é apaixonado por catedrais, independente da religião, e sempre faz questão de acrescentar no seu roteiro esse tipo de lugar para visitar, acho que essa breve história (sim, o livro é bem curtinho) vai te agradar bastante. E, por mais que não seja o meu livro favorito da vida, surpreendentemente, me agradou. ♥

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo. Falando nisso, ele está disponível aqui.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Depois daquela montanha
Fan Page ♥ Instagram


14
20.03.2020
* PJ Leu: Tudo que a gente sempre quis! ♥

Ei, Gente! :) Hoje é Dia do Blogueiro (Yay!) e niver da autora Emily Giffin (Parabéns!). Então, para unir os dois, o PJ Leu da semana vai ser: Tudo que a gente sempre quis, última história literária que embarquei. Vamos lá? Boa resenha! ♥

Livro: Tudo que a gente sempre quis | Editora: Editora Arqueiro | Autora: Emily Giffin
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Casada com um membro da elite de Nashville, Nina Browning leva a vida com que sempre sonhou. Recentemente, o marido ganhou uma fortuna vendendo seu negócio de tecnologia e o filho foi aceito em Princeton. No entanto, às vezes Nina se pergunta se ela se afastou dos valores e princípios com que foi criada em sua pequena cidade natal.

Enquanto isso, Tom Volpe é um pai separado que se divide entre vários empregos para a criar a filha, Lyla. Ele finalmente começa a relaxar quando ela consegue uma bolsa de estudos na escola de maior prestígio de Nashville.

A propósito, a menina, que é filha de uma brasileira, nem sempre se encaixa em meio a tanta riqueza e privilégios, mas, tenta, ao máximo, não deixar isso abalar e segue a vida de uma adolescente típica e feliz. Porém, tudo muda quando uma foto é tirada em uma festa em uma momento de bebedeira. A imagem (com uma legenda preconceituosa) logo se espalha!

Então, em um centro de mentiras e escândalos, Tom, Nina e Lyla são forçados a questionar muitas coisas, inclusive, tudo o que eles sempre quiseram!

Opinião da Pequena: Eu nunca tinha lido nada da Emily e o meu primeiro contato foi de total admiração. É uma história muito bem escrita, de coração, gente! Não é exatamente o livro mais leve do mundo, talvez por isso eu tenha demorado um pouco mais para terminar. São assuntos pesados e que fazem a gente rever os nossos conceitos, por mais que a a gente viva uma outra realidade diante das premissas que a história traz (pelo menos a minha).

Aliás, tudo é bem encaixado e cada capítulo e a visão dos três personagens centrais vão moldando uma história cheia de lições, emoções e apertos no coração. Falando nisso, acho que a gente tem de desejar, lutar pelas coisas e querer. Mas, às vezes, é melhor deixar acontecer. E a grande sacada também é tentar não se perder no meio do caminho. Mas não existe uma vida perfeita e erros acontecem! O jeito é tentar fazer a nossa parte, aprendendo sempre. E a justiça nem sempre é justa, mas o carma é certeiro! Isso eu acredito. :)

No mais, é um livro que aborda sobre princípios, valores, família e as diferenças sociais mostram um lado do mundo bem cruel. E eu morro de vontade de ser mãe, mas deu um medo. Porque muitas vezes a gente faz a coisa certa, porém, por querer proteger demais, as coisas não saem do jeito que imaginamos. Educar não é uma tarefa fácil não, enfim…

Quanto aos personagens, não vou dar muito detalhe para não dar spoiler. Mas posso dizer que a Nina e a Bonnie são as minhas personagens favoritas. A Nina se perdeu um pouco, mas pelo passado, a gente tem a real prova de que ele influencia no nosso presente. Mas cabe a gente transformar o limão em uma limonada. E ela fez isso muito bem! Quanto a Bonnie… Ela é a melhor terapeuta e por mais clientes antigas assim.

Sobre os outros: Tom não me conquistou de primeira, mas entendi o seu lado e acho que faria igual. Finch não é o pior vilão da história, mas bem influenciável e sei lá. Kirk é péssimo e não gostei dele não. E Lyla é incrível. Uma adolescente típica, que teve de aprender de uma forma bem triste, mas no fim, soube fazer uma trajetória brilhante. Destaque também para o diretor e os pais da Nina.

O final deixa algumas perguntas no ar. Mas é sempre bom fazer com que o leitor reflita e imagine o que aconteceu, de fato. Porém, queria que alguns personagens tivessem aparecido nas páginas finais! Não imaginava um final assim, porém, ok. Me ensinou do mesmo jeito. E sobre a capa: deu leveza à história, mas se a gente analisar bem depois de terminar, é bem poética.

É isso, gente! Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! :)
Ah! Feliz dia do blogueiro para todos os bloggers! E feliz niver, Emily (a íntima hahaha).

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – A luz que perdemos!
Fan Page ♥ Instagram 


11

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020