22.11.2017
* PJ Leu: Fazendo as pazes com o corpo! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária do dia é Fazendo as pazes com o corpo, da Daiana Garbin. O livro, publicado pela editora Sextante (parceira do blog), conta a jornada da autora para vencer a relação doentia com a comida e a obsessão pela forma perfeita. Desde já, recomendo a leitura para todos, independente se você tem algum tipo de transtorno alimentar ou não. Enfim, vamos lá? Boa resenha! 

PJ Leu - Fazendo as pazes com o corpoLivro: Fazendo as pazes com o corpo | Editora: Sextante | Autora: Daiana Garbin

Sinopse: Daiana Garbin passou 22 anos odiando o próprio corpo. Sentia-se eternamente inadequada, deseja ser reta, seca. Só pele e osso. Tinha vergonha de si mesma e de seu descontrole diante da comida. Encarou dietas hiper-restritivas, passou por três cirurgias plásticas, fez procedimentos estéticos agressivos e ficou viciada em remédios para emagrecer. Sempre acreditando que um corpo magro lhe traria paz e felicidade. Foi só depois de muito sofrimento que ela descobriu que a insatisfação profunda que sentia em relação ao corpo não era vaidade nem frescura: era doença.

Diagnosticada com transtorno alimentar, a autora decidiu compartilhar sua história para ajudar as pessoas que sofrem em silêncio por querer se enquadrar em padrões inatingíveis e acabam deixando de aproveitar a própria vida. Ela revela o longo caminho que percorreu para aprender a ficar em paz com o corpo e com a comida. Os altos e baixos, o que deu certo, o que deu errado. As vezes que quis jogar tudo para o alto e o momento em que percebeu que existia uma saída.

Um livro que traz entrevistas com especialistas na área, desde nutricionistas até psiquiatras. Faz com que o leitor pense sobre os perigos alimentares, o lado nocivo das redes sociais e o padrão de beleza irreal que a mídia impõe. Além disso, mostra como a autocompaixão pode ajudar no processo da cura. Que aliás, é um exercício diário!

Minha opinião: Desde o dia que teve o encontro de livreiros da Arqueiro e Sextante, pensei: preciso ler o livro dessa autora! Conheço pessoas que sofrem de transtorno alimentar e eu queria entender mais e ter uma noção de como ajudar. Além do mais, no mundo de hoje, onde na maioria das vezes o padrão da beleza fala mais alto,  imaginei que o livro poderia abrir meus olhos também. E não me enganei. A Daiana fala a verdade nua e crua, mas sem ser cruel e  colocando panos quentes. Ela mostra a realidade, mas dando o carinho e apoio que são tão importantes para quem passa por isso. Ela não te dá a fórmula mágica para a “cura”, porém, conta que você não está sozinho e que seu problema tem uma solução. Só que é um um exercício diário! Não é da noite para o dia que as coisas mudam. Mas só de enxergar que algo está fora do eixo, já é um grande caminho.

Com a leitura, aprendi que não há mal algum em querer se sentir bem, mudar coisas que incomodam. Entretanto, o exagero, a busca pela perfeição, não é nada saudável. Aliás, essa palavra “perfeito” não existe! Ela é linda na teoria, mas na prática pode tornar sua vida um transtorno, no sentido literal mesmo. E por experiência própria: a gente tem que parar de achar que uma pessoa magra é mais feliz. Quando ganhei uns quilinhos a mais, passei a me sentir mais segura. Não foi de propósito, mas aconteceu. Óbvio que têm aqueles dias que uma coisinha me incomoda aqui e ali, mas acontece. E com esse livro me toquei mais ainda que tudo bem ter esses dias.

PJ Leu - Fazendo as pazes com o corpo - 2Aprendizados! 

Fazendo as pazes com o corpo me mostrou ainda mais que o equilíbrio é a palavra-chave. Restrição que não tenha a ver com saúde, só faz mal. Ir numa festa e negar um bolo de chocolate com um refri, sem precisar de fato, só para seguir um padrão, não faz sentido. Mas claro que comer isso todo santo dia, toda hora, não vai ser saudável. É o equilíbrio que faz toda a diferença. E a gente tem que tentar praticar diariamente essa palavra! E saber que não é fácil, mas não é impossível. Também reforcei um aprendizado:  quando temos um problema, não é vergonhoso procurar por ajuda. Pode acreditar, essa atitude só vai fazer bem, por incrível que pareça. E, por fim, siga e esteja ao lado de quem te inspira. Não quem te faz se sentir uma pessoa inferior.

Para mim, a leitura fluiu. Porém, pode ser que para alguns leitores, ela seja mais difícil. Afinal, ler o que acontece exatamente com você, não deve ser nada fácil. Mas não desista. Vale cada palavrinha! Destaque para o capítulo 4, que mais me marcou. E o prefácio: um dos melhores que já li. Enfim, do começo ao fim, é aquela leitura que vale a pena. Tendo ou não transtorno. Conhecendo ou não alguém que passe por isso. Essa história mostra que precisamos urgentemente rever nossos conceitos. Em todos os sentidos, principalmente no de padrão de beleza! Obrigada, Daiana. Que a sua história inspire todo mundo. Ela me inspirou e me marcou! 

***

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? MEGA RECOMENDO!

Ah!! Essa semana vou postar uma entrevista mega bacana com ela. ;-)

Beijos, Carol.


0
16.11.2017
* PJ Leu: Antes de partir! ♥
Em: PJ LEU

Ei, pessoal. :) E o PJ Leu do dia é Antes de Partir, da autora Colleen Oakley. O livro, publicado pela editora Bertrand Brasil, conta a história da Daisy, que tem, aproximadamente, seis meses de vida. Já diz tudo, né? Então, boa resenha! 

PJ Leu - Antes de PartirLivro: Antes de Partir | Editora: Bertrand Brasil | Autora: Colleen Oakley

Sinopse: Na véspera do que esperava ser uma triunfante comemoração de três anos livre da doença, Daisy sofre um golpe devastador: seu médico lhe diz que o câncer está de volta, desta vez ainda mais agressivo. Ela tem apenas de quatro a seis meses de vida. A morte é uma perspectiva assustadora, mas não porque teme por si mesma. Ela está apavorada com o que será de seu marido, Jack. O que acontecerá quando ela não estiver mais lá para cuidar dele? Esse medo tira seu sono, até que uma solução lhe vem à mente: ela precisa encontrar outra mulher para ele.

Com uma determinação singular, Daisy visita parques, cafeterias e sites de relacionamento à procura do par perfeito para Jack. Mas, à medida que ela avança em sua busca, cresce o questionamento acerca da sanidade de seu plano. Conforme a ideia de seu marido com outra mulher vai se tornando algo mais próximo do real, ela se vê forçada a decidir o que é mais importante no curto tempo que lhe resta. A felicidade de Jack ou a sua própria?

Minha opinião: Quando encontrei esse livro na livraria, pensei: preciso ler urgentemente! Histórias assim, sempre acrescentam muito. Me deixam triste, mas a listinha de lições valiosas que fica, faz valer a pena cada página. Porém, me enganei completamente com esse livro. :( Foi uma leitura pesada, que por pouco não larguei para lá. Mas eu tinha esperança de que uma hora, a construção da história ia mexer comigo de uma forma positiva. No finalzinho, até rolou um pouco, mas já era tarde… Claro, que entendo que esses livros tendem a ter uma história pesada, que incomoda o leitor, dependendo da sua sensibilidade. Em contrapartida, todos os livros que li sobre até aqui, me surpreenderam positivamente. Por mais que seja um tema delicado (câncer de mama), os autores conseguiram contar de uma forma leve. Então, por isso me decepcionei.

Tiveram algumas partes engraçadas e o final me prendeu um pouco. Mas a leitura não fluiu do jeito que eu gosto! A Daisy me fez ficar com raiva dela, o Jack também. Em compensação sua amiga, seus bichinhos de estimação, sua mãe e a vizinha: adorei cada personagem! Acho que a ideia central, que ela faz de tudo para arrumar alguém para o marido, que a autora pecou. Até poderia ter, mas de um outro jeito. Sei lá!

Enfim, apesar dos pesares, até que eu consegui tirar lições: aproveitar cada segundinho, principalmente se você leva esse baque. E em hipótese alguma tentar arrumar outra para o seu boy. Ah! E também: o  jeito como a gente lida com as coisas ruins, faz toda a diferença. E pontinho para a capa: a parte mais leve de toda a história!

Resumindo: eu não curti muito. Porém, acho que vale cada um ler e tirar sua própria conclusão! E para variar: podem opinar à vontade! ;-)

Beijos, Carol. 

Sorteio Instagram (até dia 17 de novembro): Livro Fazendo as pazes com o corpo

Para ler: Blogueiras.com

Fan Page ♥ Instagram 


3
09.11.2017
* Projeto Drama Queen #108 – Sente o drama! ♥

Projeto Drama Queen - Imagem - 108Por Carol Daixum (Pequena Jornalista hahaha) 

– Jeannie, você me ama?

(Esperando a minha cachorrinha responder, mas no momento ela só olha para a minha cara)

– Jeannie, se você me ama, me dá uma lambida no braço.

(Cri cri cri – me ignora e faz uma cara, sai daqui sua louca)

– Jeannie, por que você não me ama?

(Cara de eu não sei falar, mas sério você é bem louca, irmã)

– Jeannie? Jeannie? Me respondeeeeeeeeee ou me dá um beijinho!!

(Meu pai se intromete e Jeannie sai fora do quarto, agradecendo meu pai)

– Filha, por que você estava espremendo a Jeanninha?
– Estava tentando entender se ela me ama… (cara de choro)
– É óbvio que ela te ama, né sua doida?
– Pai, como você pode ter tanta certeza disso?
– Ela não te larga um minuto.
– Pai, ela está preferindo dormir na cozinha do que no meu quarto. Você tem noção disso?
– Filha, ela tem direito de ter a privacidade dela.
– Você está dizendo que não dou privacidade para a minha cachorra?
– Não começa o drama.
– QUEM ESTÁ FAZENDO DRAMA AQUI???

21105528_1055006341315139_511008252010217472_n

(Jeannie interrompe e me dá a tão desejada lambida no braço e sai correndo)

– E aí? Quem não te ama mesmo, filha?
– Pai, ela fez isso por pura pena.
– Ah, com certeza.
– Você também acha isso? Pai, mudando de assunto li no Google que quando cachorro não deixa tirar a coleira, ele acha que manda no dono.
– Você tem dúvida de que ela não te faz de trouxa?
– Não faz nada. Ou faz? Jeannie, você me faz de trouxa? Vem cá, Jeannie Daixum!
– Filha, você não pode acreditar em tudo que você lê no Google, né? Provavelmente, ela tem medo do barulho da coleira.
– Mas com você ela deixa.
– Ah! Mas é diferente… Filha, olha, chega desse assunto, ela te ama e PRONTO.
Por que ninguém tem paciência comigo?

(Meu pai sai andando e a Jeanninha vai do lado dele, me deixando para trás… Vida cruel)

**

Pois é, gente. Nem a minha cachorrinha escapa dos meus dramas! Vocês também são assim? A sorte que ela é tão dramática quanto eu. =D Ah! Vale lembrar, que a história não aconteceu exatamente assim, mas volta e meia tem um episódio parecido por aqui hahaha.

** O Projeto Drama Queen é uma parceria entre os blogs Pequena Jornalista e Casos, Acasos e Livros. Duas vezes por mês, um draminha bem dramático para vocês. Quem quiser compartilhar com a gente seus episódios “ajeita a coroa”, fique à vontade.

Beijos, Carol. 

Para ler: Projeto Drama Queen – Minha nada mole vida canina

Fan Page ♥  Instagram 


2
08.11.2017
* Quatro histórias literárias que você precisa embarcar! ♥

Ei, Gente! Há um tempinho, fiz um post sobre livros com lições valiosas. Daí, resolvi repetir mais ou menos a dose e falar sobre histórias que acredito que todo mundo tem que embarcar. Tipo aquelas obras que são um tapa na cara da gente, sabe? E faz com que a reflexão apareça automaticamente. Enfim, chega de conversa e vamos ao que interessa. Bom post! ;-)

Post - Livros que todo mundo precisa ler - PJCrédito das Imagens: Saraiva
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

1. Escolha sua vida (Paula Abreu – Editora Sextante) 
Sinopse: Muita gente poderia dizer que uma advogada bem-sucedida, com muito dinheiro no banco, carro do ano e um apartamento com vista deslumbrante deveria estar satisfeita com a vida, né? Paula Abreu tinha tudo isso, mas um dia constatou que não estava feliz. Daí, resolveu se reinventar: largou a carreira, terminou um relacionamento, mudou seus hábitos e começou a buscar a vida que sempre quis.
Observação da Pequena: Sério, pessoal. Se hoje sou mais feliz profissionalmente, devo muito a esse livro. Me fez expandir horizontes e acreditar mais no meu sonho! E toda escolha  significa renúncias, mas valeu a pena cada coisa que deixei para lá. Para ler mais sobre ele, só clicar aqui.

2. Extraordinário (R. J. Palacio – Editora Intrínseca)
Sinopse: August Pullman, mas conhecido como Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca frequentou uma escola de verdade. Até que um dia, passou a frequentar. Com medo, mas foi. Ser um aluno novo, já é bastante difícil… Mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano, o nosso protagonista tem uma missão difícil, mas não impossível: convencer os seus amigos de classe de que, apesar da aparência diferente, ele é um menino igual a todos os outros. Mas segundo seus pais: ele é extraordinário!
Observação da Pequena: Não tem como não aprender com esse livro e se encantar pelo Auggie. Louca para assistir essa história no cinema, que a propósito estreia em dezembro! \o/ Para ler mais sobre ele, só clicar aqui.

3. O ódio que você semeia (Angie Thomas – Galera Record)
Sinopse: Starr vive entre dois mundos: o bairro pobre onde mora e o colégio particular em que estuda. Ainda assim, ela é como tantas outras meninas de 16 anos. Tem amigos, problemas com os irmãos, vai a festas e também ajuda o pai no trabalho. Até que esse equilíbrio é quebrado: Starr presencia a morte de seu melhor amigo de infância, Khalil, por um policial. Khalil estava desarmado. Starr é a única testemunha. Não demora e a morte do amigo é manchete em todos os jornais. Alguns o chamam de bandido, outros de traficante, e que fazia parte de uma gangue. O julgamento ainda não ocorreu, mas não há quem não julgue. Seja no bairro, na escola, na TV. Até que protestos começam a tomar as ruas! Traficante? Negro. Bandido? Desarmado. Dizem que a justiça é cega, e é isso que Starr está prestes a descobrir!
Observação da Pequena: De todos que selecionei hoje, esse é um dos livros que mais recomendo. Para todo mundo, sem exceção! Uma história que prende a cada capítulo e faz a gente enxergar a nossa sociedade de uma outra forma. Louca também para assistir, nem que seja o trailer. Para quem não sabe, já estão gravando o filme inspirado nesse livro! Para ler mais sobre ele, clique aqui.

4. Minha vida não tão perfeita (Sophie Kinsella – Record)
Sinopse: Cat Brenner tem uma vida perfeita! Ela mora em um flat em Londres, tem um emprego glamouroso e um perfil mara no Instagram. Mas ela não conta a real que está por trás disso tudo. Por exemplo? Ela até mora em um flat, mas em um quartinho minúsculo com pessoas bem peculiares. Seu trabalho na agência de publicidade é burocrático e nem tão legal. E o dia a dia que ela compartilha em ser perfil, não reflete exatamente a realidade. Ah! Outro detalhe: seu nome verdadeiro é Katie. Porém, um dia, seus sonhos se tornarão realidade, né? Bom… A vida dela vira de cabeça para baixo, quando a chefe Demeter, bem-sucedida, a demite. Daí, ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset, sua cidade natal.  Só que é justamente nesse local, que a nossa protagonista tem a oportunidade de ficar cara a cara com a sua ex-chefe. Será que ela vai finalmente colocar a megera no seu devido lugar ou mudar de opinião? Afinal, ter uma vida (não tão) perfeita assim é tão ruim?
Observação da Pequena: Em tempo de likes, essa é uma ótima leitura, que ensina um outro lado também. Um dos livros mais incríveis da Sophie e que cabe direitinho nessa “realidade” online. Para ler mais sobre ele, clique aqui.

***

É isso, gente. Podem opinar à vontade e indicar livros nos comentários. Não necessariamente, esses livros estão na minha listinha de preferidos, mas me ensinaram tanto a levar a vida de um jeito melhor, que eu indico para todo mundo. E como eu disse: sem exceção!

Beijos, Carol.

Para ler: Três livros com lições valiosas!

Fan Page ♥ Instagram


2
06.11.2017
* PJ News Novembro – Montanha, Natal e por aí vai! ♥

Ei, Gente! Preparados para o penúltimo PJ News do ano? ;-) Tem o de sempre, mas com um toque novo: livros, filme, itens de beleza, moda, preparativos para o Natal e por aí vai. Bom post! 

PJ News - Novembro 2017Crédito das imagens: Adoro Cinema, Instagram Starbucks, Arqueiro, Saraiva, Instagram Glamour, Site MdeMulher e Divulgação.
Crédito da montagem: Pequena Jornalista 

Para começar: louca para assistir ao filme inspirado no livro “Depois daquela montanha“. Adorei o livro e acho que vou curtir a história na telinha!  Aqui no Rio, estreou semana passada. Também estou doida para ver o novo copo de Natal do Starbucks e outras gordices dessa época. Quem amanhã vai bater ponto na cafeteria, hein? \o Daí, também separei dois livros: Tipos Incomuns (Tom Hanks) e Criaturas e Criadores (alguns autores nacionais, como a Frini Georgakopoulos, blogueira literária que eu adoro). O primeiro é lançamento da Arqueiro (parceira do blog) e foi meu pedido de novembro. Lança no 13 e conta com uma coletânea de histórias sobre a condição humana e todos os seus defeitos. Assim que eu ler, conto para vocês. O segundo é de terror, mas como eu sei que muita gente que acompanha o PJ ama esse gênero, não poderia deixar de fora. É da Record e achei a capa sensacional. ;-)

Por fim, algumas coisinhas do universo feminino, que eu amo. Tem essa T-shirt “Imagina Juntas” mara da Amaro em parceria com a revista Glamour. Parte do valor será revertido para um projeto chamado “#ApoloniasDoBem”. Ai também tem essa coleção linda de pinceis rosa millennial da M.A.C. Tem como não amar e desejar, gente? Na imagem não aparece, mas pelo que eu vi vem com um nécessaire da mesma cor. Ainda não sei se chegou no Brasil, mas acredito que esteja à venda lá fora por enquanto. E, por último, mas não menos importante: essa mochila linda da coleção da ilustradora Rita Wainer para a Cantão

É isso, gente! Quem quiser compartilhar outras news, fique à vontade.

Beijos, Carol.

Para ler: Depois daquela montanha 

Fan Page ♥ Instagram


4

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017